Quando o assunto é proteção, o seguro de vida é um dos produtos financeiros mais importantes. Por meio dele, você e sua família podem ter cobertura financeira garantida em diversas situações imprevistas. 

Porém, antes de contratar essa solução, vale saber o que é seguro de vida. Entender melhor como ele funciona e como o seguro pode ajudar a sua família permite que você tome uma decisão consciente a favor do seu planejamento financeiro.

Quer descobrir o que é o seguro de vida? Continue a leitura e aprenda mais sobre o tema!

Como surgiu o seguro de vida?

O seguro de vida é uma espécie de serviço de proteção financeira. Ele é garantido através de um contrato (chamado de apólice), firmado com uma seguradora. Com ele, a empresa ficará responsável por pagar uma indenização caso ocorra alguma das situações previstas pela cobertura contratada.

A história do seguro de vida é bem interessante! Ele existe há mais de 2 mil anos, e servia para proteger as caravanas de camelos que cruzavam o deserto — muitas vezes, com produtos de agricultura.

O contrato mais próximo do que é conhecido hoje, no entanto, foi celebrado pela primeira vez no século XIII. No Brasil, ele passou a ser utilizado por volta do ano 1800. Nesse sentido, a primeira sociedade de seguros do país surgiu em 1808, ainda no tempo do Império. 

Inicialmente, a intenção era oferecer seguros marítimos, já que esse era o principal meio de transporte da época. Já em 1850, foi criado o Código Comercial Brasileiro, que trazia regras para esse produto e para a atuação das empresas do setor. 

Na época, entretanto, o seguro de vida era estritamente proibido. Porém, a revogação caiu em 1855, quando ele passou a ser autorizado em todo o território nacional. Na década seguinte, surgiram as primeiras seguradoras internacionais no Brasil e, desde então, o mercado passou a se desenvolver.

Atualmente, além das empresas tradicionais, existem também as insurtechs, como a Azos. As insurtechs são empresas que aliam proteção e tecnologia no intuito de oferecer a melhor experiência para os clientes.

Como o seguro de vida funciona?

Agora que você entendeu a trajetória do seguro de vida e seu aperfeiçoamento ao longo do tempo, é o momento de se aprofundar em seu funcionamento. No caso do seguro de vida pessoal, você faz a contratação e assume a posição de segurado.

Junto à seguradora, é definido um capital segurado, que representa o quanto será pago como indenização. Além disso, há a definição das coberturas, que especificam em quais situações haverá o pagamento pela seguradora.

Ainda, como você verá, o seguro de vida com cobertura de morte permite incluir beneficiários, que podem receber o montante em seu nome. Isso é o que acontece, especificamente, diante do falecimento do titular. 

Já a carência do seguro de vida representa o período mínimo que deve ser respeitado para que ocorra o pagamento da indenização, se houver sinistro. Se a carência for de 60 dias, por exemplo, o valor só será pago se o fato acontecer após esse período.

Para que serve um seguro de vida?

Como você viu até aqui, o seguro de vida tem como principal função oferecer proteção em caso de uma situação adversa, imprevista ou inesperada. Na prática, ele disponibiliza uma compensação financeira, diante das situações previstas em contrato.

Logo, esse seguro serve para proteger você, a sua família ou outros beneficiários de situações que não podem ser controladas. Seu foco, portanto, está em oferecer proteção financeira, de acordo com as condições da apólice. 

Em quais situações ele pode ser útil?

Talvez você esteja se perguntando como o seguro de vida é verdadeiramente útil no cotidiano. Para responder a essa questão, você deve considerar as coberturas mais comuns e o que elas preveem. 

Veja!

Doenças graves

Uma das possibilidades que demonstram a importância do seguro de vida é o diagnóstico de uma doença grave. Pense em um segurado que conta com essa proteção e já cumpriu a devida carência.

Em determinado momento, ele passa por exames de saúde e descobre que está com câncer. Como, muitas vezes, o plano não cobre todos os tratamentos e procedimentos, o segurado pode resgatar o seguro de vida com essa cobertura.

O dinheiro pode ser usado para custear o tratamento ou para manter o padrão de vida enquanto o segurado estiver impossibilitado de trabalhar, por exemplo.

Invalidez por acidente

Outra cobertura prevista é a invalidez permanente por acidente. Isso acontece diante da perda da função dos membros superiores, inferiores, dos sentidos e outros fatores que impeçam aquele que possui o seguro de continuar trabalhando. 

Agora, imagine uma pessoa com um seguro de vida que passa por um acidente e não consegue mais andar, de maneira irreversível. Como consequência, ela terá outras necessidades, mais gastos e também pode ter dificuldades para trabalhar, certo?

Com o resgate do seguro de vida, o dinheiro pode ser usado para equilibrar as contas, manter o padrão de vida ou atender às novas demandas dessa condição.

Morte

Também é possível contratar um seguro de vida com cobertura para morte acidental ou natural. Nessas condições, os beneficiários recebem o valor do capital segurado, conforme indicado em contrato.

Para entender como isso pode ser útil, pense em alguém que tem um cônjuge e dois filhos. Em determinado momento, essa pessoa sofre um acidente e falece. Como o segurado era o principal provedor, a família fica desamparada e pode passar por dificuldades financeiras.

Por outro lado, com esse produto financeiro, os beneficiários recebem a indenização. Então, o cônjuge pode equilibrar as contas até que consiga repor a renda, os filhos continuam tendo a estrutura necessária e a família terá mais facilidade para se manter, apesar da situação adversa.

Quais as vantagens de contratar um seguro de vida?

Você acabou de descobrir que o seguro de vida pode ter diversas finalidades. Essa diversidade de propósitos é uma vantagem importante — mas não é a única. Com a contratação de uma apólice adequada para as suas necessidades, há chances de aproveitar outros benefícios.

Por exemplo, o seguro permite ter mais tranquilidade por saber que seus beneficiários estarão protegidos caso você seja vítima de algum sinistro. Além disso, é possível se proteger das consequências de acidentes que causem invalidez ou de doenças graves.

Então há mais previsibilidade sobre o dinheiro, o que favorece o planejamento financeiro. Dessa maneira, o seguro proporciona proteção financeira em vida e garante que seus beneficiários fiquem amparados, em caso de falecimento.

Ainda, o seguro de vida apoia o planejamento sucessório. Como ele não entra no inventário, você pode escolher os beneficiários que quiser e a liberação dos recursos acontece de maneira mais simples, rápida e barata.

Com essas informações, agora você sabe o que é o seguro de vida e conhece a proteção financeira que ele pode oferecer para você e sua família. A partir dessa contratação, é possível ter muito mais tranquilidade e segurança em seu dia a dia — então vale a pena considerá-la no seu planejamento financeiro.