Se você é um profissional ainda na ativa e também uma das principais fontes de renda da família, sabe o que é se preocupar com o dia de amanhã. A gente pode apostar que você já pensou: “e se algo inesperado acontecer e me impedir de continuar trabalhando?”. A vida adulta não é fácil…

Uma maneira de evitar que uma surpresa desagradável desequilibre as suas contas e deixe a sua família em uma situação financeira complicada, é ter como plano de emergência o seguro invalidez.

Porém, nem todo seguro invalidez é igual. Existem dois tipos principais de cobertura: a permanente e a parcial. Saber quais as diferenças entre as duas é a melhor maneira de garantir que você contrate a cobertura mais adequada para a sua vida.

Por isso, separamos os principais pontos de cada uma delas para você optar por aquilo que realmente precisa, confira.

Seguro invalidez parcial 

  • Cobre acidente cujas consequências tenham deixado alguma sequela (invalidez) parcial;
  • Perda, restrição ou impotências permanentes parciais, como a perda de uma das mãos, estão incluídas;
  • O valor da indenização é estipulado por tabela fornecida pela seguradora responsável pela apólice, conforme o tipo de sequela, membro ou órgão atingido;
  • Se o segurado sofrer tipos diferentes de invalidez, a soma das indenizações não pode superar o total da cobertura contratada.

Seguro invalidez permanente

  • O seguro invalidez permanente e total cobre apenas a perda, restrição ou impotência total de membro ou órgão;
  • A invalidez é considerada total se o segurado perder 100% do órgão ou membro;
  • O valor da indenização não ultrapassa o total da cobertura contratada em caso de perdas simultâneas;
  • A indenização, assim como na cobertura parcial, não acumula e não será paga duas vezes. Ou seja, uma vez usada, o contrato é finalizado. Mas é possível contratar uma nova apólice de seguro;
  • Suicídio é considerado acidente e tem cobertura, porém após o período de carência estabelecida pelo contrato, que geralmente é de 2 anos;
  • Assim como na invalidez parcial, a invalidez permanente total só é considerada após esgotados todos os recursos médicos de tratamento, e se restar alguma sequela prevista pela cobertura.

Um outro ponto importante a ser analisado sobre o seguro invalidez é o motivo causador da perda, restrição ou impotência de membro ou órgão do segurado. A invalidez, para o seguro, pode ser causada por:

  • desempenho de função (laboral ou funcional);
  • doença;
  • acidente.

Em termos gerais, essas três causas possuem tipos de cobertura própria, mas protegem, em geral, as situações em que o segurado se torna incapaz de realizar uma função ou perde a autonomia — como no caso de alienação.

Também é importante levar em conta que o seguro invalidez, seja qual for, não tem relação com a aposentadoria por invalidez do INSS. Mas você pode receber as duas ao mesmo tempo.

Seguro invalidez permanente majorado

A majoração funciona como uma cobertura extra. Se no seguro invalidez permanente total o segurado recebe a indenização somente diante de perda integral de membro (duas mãos, por exemplo) ou órgão (toda a visão de ambos os olhos), no seguro invalidez majorado isso não é necessário. Ou seja, a perda parcial vale como integral.

Aqui na Azos oferecemos a cobertura de invalidez permanente total por acidente majorada, ou seja, garantimos a sua proteção mesmo que a invalidez seja parcial. Quer saber mais sobre o nosso seguro invalidez? Fale com um dos nossos especialistas e tire todas as suas dúvidas.