Muitas pessoas ainda não conhecem o funcionamento do seguro de vida e costumam ter dúvidas sobre esse serviço. Assim, considerando as possibilidades existentes, pode não ser tão fácil escolher o tipo de seguro ideal para as suas necessidades.

Porém, tendo em vista que esse produto financeiro é uma proteção fundamental para você e sua família, é importante que a escolha do seguro seja feita de maneira consciente. Dessa forma, é possível evitar problemas relacionados à inadequação da apólice às suas necessidades.

Você também tem dúvidas sobre como escolher o tipo de seguro de vida ideal? Continue a leitura e confira 4 dicas que ajudarão nessa tarefa! 

Vamos lá?

O que é e como funciona o seguro de vida?

Antes de aprender como escolher o seu seguro de vida, é importante entender o conceito desse produto e como ele funciona. Trata-se de uma proteção financeira contratada para garantir uma indenização aos beneficiários em caso de morte do titular ou outros eventos incluídos na apólice.

As coberturas incluídas na apólice podem envolver:

  • doenças graves;
  • invalidez por acidente;
  • diária de internação hospitalar;
  • incapacidade temporária;
  • perda da renda;
  • invalidez laboral permanente por doença;
  • invalidez funcional por doença;
  • entre outras condições.

Quem paga a indenização é a seguradora contratada. Para isso, ela cobra um valor chamado prêmio. Esse é o montante que o contratante deve pagar, mensal ou anualmente, para ter a cobertura do seguro. 

Quais são os tipos de seguro de vida?

Entendendo o que é e como funciona um seguro de vida, é essencial saber quais são os tipos disponíveis no mercado. Assim, você pode escolher a opção que mais se encaixa em suas necessidades e de sua família.

Na prática, existem três principais tipos de seguro de vida. Veja!

Tradicional

Esse é o tipo de seguro mais conhecido e garante a cobertura vitalícia, enquanto o prêmio for pago À seguradora. Desse modo, caso o segurado faleça, a proteção contratada é paga aos beneficiários. Além disso, a indenização pode ser paga em outras eventualidades previstas em contrato.

Nessa modalidade, não é possível recuperar o dinheiro pago se o seguro for cancelado. Isso significa que, independentemente dos valores aportados pelo titular, o capital não será reembolsado se houver cancelamento — seja espontâneo ou por inadimplência. 

Resgatável

O seguro de vida do tipo resgatável apresenta cobertura semelhante ao do produto tradicional. Entretanto, ele permite que o contratante recupere parte dos valores pagos em determinadas situações.

Caso opte por não continuar com o produto, o segurado pode reaver o montante investido, com correção dos juros conforme a inflação. Geralmente, há carência mínima de 2 anos para realizar o resgate do valor.

Temporário 

Como o nome indica, o seguro de vida temporário é voltado para proteção financeira durante certo período. Assim, ele pode ser utilizado por quem paga financiamento de imóvel ou estudo dos filhos, por exemplo. 

Nessa modalidade, caso o segurado faleça, o seguro cumpre os pagamentos de prestações ou mensalidades. Dessa forma, os beneficiários ou herdeiros não ficam desprotegidos financeiramente. Ademais, o seguro temporário pode ser contratado como cobertura adicional para outros seguros.

4 Dicas para escolher o tipo de seguro ideal para você

Após saber quais são os principais tipos de seguro de vida, você pode conhecer as 4 dicas para escolher o produto ideal para o seu caso.

Confira!

1. Entenda o seu estilo de vida

O primeiro passo para escolher o tipo de seguro é entender o seu estilo de vida. Com essa informação, é mais fácil saber qual modalidade se encaixa em suas necessidades. Uma pessoa solteira e sem dependentes, por exemplo, pode buscar a cobertura de sua saúde física e capacidade laboral.

Ademais, um seguro de vida resgatável pode ser uma opção interessante. Afinal, se a cobertura não for utilizada ao longo da vida ativa, é possível resgatá-lo para aposentadoria, por exemplo. 

Já um provedor de família deve pensar em seus dependentes. Logo, o seguro tradicional com cobertura por ausência prematura ou sucessão patrimonial pode ser o mais adequado, a fim de proteger os herdeiros financeiramente. 

Por fim, o seguro temporário pode se adequar às necessidades de quem tem prestações e mensalidades para pagar em longo período e não quer que a família tenha problemas com isso em caso de desemprego ou morte.

2. Estabeleça o seu capital segurado

O capital segurado é o valor da indenização e afeta o valor do prêmio. Quanto maior for a indenização, mais altas serão as mensalidades do seguro. Como ele afeta a proteção patrimonial, é essencial calcular e planejar qual montante pode cobrir as necessidades da sua família.

Ao mesmo tempo, você deve entender qual valor de mensalidade cabe em seu planejamento financeiro. Além disso, realize cálculos e projeções para encontrar um equilíbrio entre a quantia da indenização e o prêmio. 

3. Conheça a carência do seguro

A carência é o período em que o segurado fica descoberto pelo seguro. Desse modo, caso aconteça o sinistro nesse intervalo, a seguradora não tem obrigação de pagar a indenização. Logo, é imprescindível conhecer a carência antes de fechar o contrato.

O ideal é optar pelo seguro com menor carência disponível no mercado para cada tipo de cobertura. Dessa maneira, você fica mais tranquilo ao saber que a sua proteção e a de sua família acontecerá com maior antecedência. 

4. Escolha uma seguradora de confiança

Por fim, um cuidado central para garantir que você e sua família obtenham o melhor atendimento, especialmente durante o sinistro, é escolher uma seguradora de confiança. Para isso, procure por empresas com boa reputação.

Vale também avaliar a empresa que oferece o melhor custo-benefício, considerando as vantagens sobre as concorrentes. A Azos, por exemplo, disponibiliza o buscador de CPFs. Esse é um sistema que busca os CPFs cancelados dos segurados com apólices ativas.

Assim, mesmo que os beneficiários não saibam do seguro de vida, a Azos entra em contato com eles para realizar o pagamento da indenização. Com isso, você pode ficar tranquilo que a sua família poderá receber o valor contratado, ainda que não tenha conhecimento ou não se lembre da apólice.

Como você viu, é importante escolher o tipo de seguro ideal que atenda às suas necessidades e de seus beneficiários. Desse modo, você garante a proteção financeira que todos precisam nos momentos mais difíceis. Então não deixe de considerar as 4 dicas para escolher a modalidade certa!

Que tal aproveitar que está aqui e fazer uma simulação de seguro de vida para você? Acesse o nosso site e conheça o seguro ideal!