Quem não queria uma proteção de 2 milhões de reais? Ter o valor máximo de cobertura de um seguro de vida é uma tentação e tanto para a maioria das pessoas. Outra ideia muito comum é achar que o seguro funciona como um investimento… Mas, não é bem por aí. 

O seguro de vida é um plano de contingência, uma estratégia financeira para proteger a vida que você construiu ou assegurar estabilidade financeira de pessoas que dependem da sua renda, caso algo aconteça com você. E, por isso, deve ser contratado conforme a sua realidade.

Portanto, há alguns pontos importantes sobre suas condições de vida e da sua família que devem ser analisados antes de decidir qual a cobertura ideal para você.

Qual a finalidade da cobertura?

A cobertura do seguro de vida tem o objetivo de garantir que o estilo de vida dos seus entes queridos não mude caso algo aconteça com você. Em outras palavras, o seguro de vida permite que você continue ajudando as pessoas que ama, ainda que ausente.

A indenização do seguro pode cobrir gastos como:

  • aluguel;
  • empréstimo ou financiamento;
  • despesas funerárias e de inventariação; 
  • faturas de cartão de crédito;
  • mensalidades escolares;
  • despesas de rotina em geral.

A cobertura é ainda mais importante quando o segurado é arrimo de família, o que significa que todos os membros dependem exclusivamente da renda de uma única pessoa. 

Já nos casos de casais em que a renda vem de ambos, o impacto financeiro pode ser menor caso um dos dois faleça. No entanto, a indenização do seguro evita que um dos cônjuges fique sobrecarregado ou tenha que abrir mão de certos confortos conquistados.

Afinal, quanto de cobertura devo ter?

A ideia é bastante simples: a quantia de cobertura que você precisa é aquela necessária para assegurar o estilo de vida dos seus dependentes financeiros durante um período de tempo se algo acontecer com você.

Nossos especialistas sugerem um valor entre 5 a 10 vezes a sua renda anual

O valor da cobertura deve ser suficiente para quitar despesas e dívidas deixadas para trás, além de garantir educação de qualidade para os filhos. Isso sem precisar alterar os planos que você e sua família construíram juntos.

Se você ainda tem dúvidas sobre o valor ideal para a cobertura do seu seguro, a Azos preparou uma ferramenta para facilitar ainda mais a sua vida! Confira a nossa calculadora de cobertura.

Qual é o melhor seguro de vida?

Não basta saber qual a cobertura ideal, é fundamental entender qual tipo de seguro de vida melhor se adequa às suas necessidades. 

Dentre os tipos de seguro de vida, existem dois principais: o seguro temporário e o vitalício.

O seguro de vida temporário 

O seguro de vida temporário é definido pelo período de contratação limitado, cuja duração vai até o máximo de 30 anos. 

A vantagem do seguro temporário é que, por oferecer proteção por tempo limitado, ele possui mensalidades mais baratas. Além disso, ele proporciona a cobertura que você precisa durante o tempo necessário para que seus dependentes alcancem autonomia financeira. 

Por isso, assim que seus entes queridos já não sejam mais dependentes financeiros, você pode cancelar o seu seguro. Caso você ainda queira mantê-los protegidos, pode renovar a apólice (a depender da seguradora e dos termos do contrato).

A quantia da cobertura é suficiente para manter o estilo de vida da maioria das pessoas, já que a finalidade do seguro é assegurar que seus entes queridos tenham proteção financeira, mesmo se você se ausentar.

É em função dessas condições que o seguro temporário é o mais procurado e acessível dos tipos de coberturas disponíveis no mercado.

O seguro de vida vitalício

Já o seguro de vida vitalício dura a vida toda. O valor da cobertura costuma ser maior, porém o preço das mensalidades também. 

Embora seja uma opção viável, ela não é a mais interessante. A função do seguro de vida é proteger seus beneficiários apenas enquanto eles dependem da sua renda.

Vale uma observação: a quantia das coberturas do seguro de vida vitalício são impressionantes, mas podem ser verdadeiros fardos. Isso porque a mensalidade deve ser paga durante toda a vida do segurado, inclusive em momentos em que já não faz sentido ter um seguro de vida.

Como saber se preciso de uma cobertura de verdade?

Há uma maneira simples de decidir se você realmente precisa de seguro de vida ou se ainda não é o momento certo para adquirir o seu. Pergunte-se: você tem alguém que dependa da sua renda? Você planeja ter filhos em breve? 

Se a resposta for positiva, então é melhor adquirir o seguro de vida o mais rápido possível. Quanto mais jovem você for, mais em conta será o valor dos prêmios (ou mensalidades).

É importante lembrar que o seguro de vida não é tão indicado para pessoas mais velhas, cuja família já está encaminhada e tem membros independentes financeiramente. O seguro é para toda pessoa que está estruturando a vida e construindo um lar junto de quem ama.

Se você tem dúvidas sobre quando a cobertura ideal vai custar para o seu bolso, simule agora o seu seguro de vida Azos! É de graça e leva menos de 5 minutos.