Plano de previdência privada vale a pena? Entenda sobre o tema!

Está considerando um plano de previdência privada? Entenda se esse investimento vale a pena e o que ele pode te oferecer no futuro!

Seguros
Plano de previdência privada vale a pena? Entenda sobre o tema!

O plano de previdência privada pode ser um investimento interessante para você aproveitar a aposentadoria com mais tranquilidade.

Essa alternativa permite criar uma poupança com juros e gestão facilitada para complementar a sua renda na terceira idade.

No entanto, será que ela é a melhor opção para você? Nesse caso, antes de escolher a opção ideal para criar uma reserva de longo prazo, vale a pena conhecer mais sobre essa modalidade e como ela funciona.

Conheça as principais características da previdência privada e veja se ela pode atender a todos os seus objetivos futuros.

O que é um plano de previdência privada?

Um plano de previdência privada é um tipo de investimento de longo prazo que visa garantir uma renda complementar no seu futuro, além da aposentadoria do INSS. 

Ela funciona como uma espécie de poupança programada, onde você realiza aportes periódicos ou únicos e, ao final de um determinado período, recebe o valor com juros. A rentabilidade pode variar segundo o perfil de investimento.

Existem duas modalidades principais de previdência privada, para o interessado poder personalizar e aderir àquela que melhor lhe atende.

Geralmente, os recursos do seu investimento são geridos por uma entidade de previdência complementar, que pode ser uma seguradora, um banco ou uma associação financeira.

Qual a importância de ter uma previdência privada?

A previdência privada é importante para oferecer uma alternativa ao pagamento convencional da aposentadoria, que não pode atender às suas necessidades na terceira idade.

Ao construir um determinado padrão de vida, é esperado manter esse conforto também após encerrar a carreira.

No entanto, nem sempre a previdência social possui uma renda adequada para os seus objetivos a longo prazo.

Nesse caso, ter uma previdência ajudará a complementar o orçamento e permitir que você atinja suas metas com mais tranquilidade.

Além disso, trata-se de uma forma de aumentar a sua segurança financeira, tornando seus planos mais completos e eficientes. Afinal, será possível se programar não apenas para o presente, mas também para o futuro.

Ainda, vale reforçar que existem diversas formas de aposentadoria privada, sendo um investimento flexível, que combina com diferentes perfis e objetivos.

Dessa forma, você pode ter uma renda complementar, mas também proteger o seu patrimônio ou ter reduções no Imposto de Renda com alternativas como um seguro de vida resgatável, por exemplo.

Qual a diferença entre seguro de vida e previdência privada?

A principal diferença entre seguro de vida e previdência privada está na finalidade e nos benefícios que oferecem.

Embora ambos sejam produtos financeiros que visam proteger o titular e fornecer um amparo em momentos de necessidade, as ocasiões em que podem ser acionados são distintas.

A princípio, o seguro de vida é um produto que visa garantir a proteção financeira do segurado ou dos dependentes do segurado em caso de morte ou invalidez.

Dessa forma, ele oferece um capital segurado somente uma vez, quando ocorre um sinistro comprovado pela companhia.

Enquanto isso, a previdência privada tem como finalidade ser uma renda complementar na aposentadoria, funcionando como uma poupança, que possui juros e, geralmente, permite o resgate a longo prazo.

Em termos de liquidez, o seguro de vida é mais simples e prático de solicitar, ideal para emergências. No entanto, também existem alternativas flexíveis para solicitação no futuro.

Por outro lado, a previdência privada pode ajudar em imprevistos, mas não possui essa finalidade, e tem mais burocracias, e pode ter perda de dinheiro, se resgatada muito cedo.

Quais os principais tipos de previdência privada?

Atualmente, existem dois tipos principais de planos de previdência privada oferecidos no mercado. 

Para contratar o produto ideal para o seu perfil, é importante entender suas diferenças e como eles funcionam. Confira mais detalhes abaixo:

PGBL

O Plano Gerador de Benefício Livre, conhecido pela sigla PGBL, é um tipo de previdência privada que permite ao investidor deduzir as contribuições do Imposto de Renda (IR) até um limite de 12% da renda bruta anual. 

Isso significa que o desconto é restrito, e incide apenas sobre o valor resgatado, no caso, a renda complementar que for recebida na aposentadoria. 

Essa é uma opção interessante para quem tem um aporte mais alto e deseja reduzir o pagamento de impostos no presente, em troca de um imposto maior no futuro, normalmente interessante para quem faz a declaração completa do imposto de renda.

VGBL

Enquanto isso, o Vida Gerador de Benefício Livre, ou VGBL, é um plano de previdência que não permite a dedução das contribuições do Imposto de Renda, mas tem a vantagem de ter uma tributação menor na fase de resgate. 

Na prática, é o oposto do PGBL, pois o imposto é calculado apenas sobre a rentabilidade, e não sobre o valor total resgatado.

Dessa forma, você poderá economizar nos impostos, pois a base de cálculo do benefício será menor.

Essa opção pode combinar mais com perfis de investidores que já utilizam a dedução do limite máximo de 12% da renda bruta anual no Imposto de Renda. Ou para quem tem uma renda mais baixa e paga menos imposto, além disso, para quem faz a opção de declaração de imposto de renda simplificada.

Quais os principais planos de previdência privada?

Além dos tipos de previdência privada, você também poderá escolher entre os planos que melhor combinam com o seu perfil. 

No entanto, é importante entender mais sobre suas características antes de escolher um produto. Confira os detalhes abaixo:

Plano fechado

O plano de previdência privada fechado, também conhecido como Fundo de Pensão, é uma opção oferecida por empresas e entidades de classe para seus funcionários ou colaboradores. 

Nesse caso, a gestão é feita por um fundo de pensão, a qual é uma entidade sem fins lucrativos criada para esse propósito. Dessa forma, ela assegura o patrimônio dos participantes e garante a concessão dos benefícios no futuro.

Os planos fechados são regulamentados pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (PREVIC).

Seu objetivo é fornecer uma renda complementar à aposentadoria do INSS para os funcionários ou membros da associação. 

Além disso, os planos fechados também podem oferecer outras proteções adicionais, como seguro de vida e cobertura para doenças graves.

Plano aberto

Enquanto isso, o plano de previdência privada aberto é um produto oferecido pelas instituições financeiras para pessoas físicas e jurídicas. 

Como o nome sugere, é uma modalidade sem restrições, disponível para quem busca uma renda complementar na aposentadoria.

Essa categoria oferece diferentes opções de investimento e flexibilidade na escolha de benefícios e contribuições. 

Os planos abertos são regulamentados pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), assim como os seguros de vida, e visa fornecer aos participantes uma renda complementar à aposentadoria do INSS.

É dentro dessa categoria que se enquadram as modalidades principais, o PGBL e VGBL.

Como funciona um plano de previdência privada?

O plano de previdência privada funciona como outros tipos de investimentos ou proteções a longo prazo.

Inicialmente, o interessado deve determinar qual a melhor modalidade para o seu perfil, na modalidade que está disponível para contratação no momento.

Existem alguns detalhes importantes que o interessado deve determinar, baseado nos seus objetivos financeiros, como período de resgate e tributação.

Além disso, é fundamental definir o valor da contribuição mensal que deseja fazer ao plano, podendo ser fixo ou variável.

Em alguns casos, é possível fazer contribuições adicionais ou resgates antecipados em caso de necessidade.

Finalmente, após determinar o melhor plano para o seu perfil, basta começar a investir e acompanhar os rendimentos do produto escolhido.

No futuro, ou quando o prazo do plano se encerrar, você poderá escolher entre receber o valor acumulado ou retirar como renda mensal.

Vale ressaltar que os planos de previdência privada são produtos de longo prazo, e é importante ter um planejamento eficiente para não precisar retirar o fundo antes.

Ainda, procure escolher uma instituição financeira sólida para administrar seu investimento, com uma gestão confiável e suporte adequado para te atender.

Quais os benefícios da previdência privada?

Se você está considerando a previdência privada como opção de investimento, vale a pena conhecer alguns benefícios que ela pode oferecer para o seu perfil. Veja mais detalhes abaixo:

Poupança

A previdência privada é uma opção interessante de poupança de longo prazo, pois permite que você faça contribuições regulares e acumule recursos ao longo dos anos. 

Com o tempo, o valor investido pode gerar rendimentos para a sua aposentadoria, que, inclusive, serão incorporados ao seu patrimônio.

Além disso, a previdência pode ser uma alternativa atrativa para quem busca economizar para ter uma renda complementar, já que existem diferentes formas de resgate e pagamento.

Regulamentação

Um dos benefícios do plano de previdência privada é a regulamentação do governo, com regras claras para a contratação, tributação e resgate.

Isso torna a alternativa mais segura e transparente para você que considera esse investimento, podendo avaliar com clareza as condições do contrato e as opções de investimento.

Se tiver dúvidas ou obstáculos ao longo da contribuição, poderá acionar órgãos fiscalizadores e, assim, ter mais tranquilidade para lidar com esses obstáculos.

Portabilidade

A previdência privada é uma opção de poupança que permite a portabilidade do plano. Em outras palavras, você tem a liberdade de transferir seus recursos para outro plano sem perder a rentabilidade acumulada.

Essa é uma vantagem que oferece mais liberdade para o investidor escolher a melhor proposta para sua aposentadoria complementar.

Além disso, pode adequar sua contribuição com os objetivos e momento financeiro com maior autonomia.

Herança

Vale reforçar que a previdência privada pode ser parte do patrimônio que você deseja atribuir aos seus herdeiros.

Assim como o seguro de vida, você pode indicar quem serão os beneficiários do seu plano no caso de falecimento.

Com isso, o valor é repassado a eles pela instituição, sem precisar entrar no processo de inventário.

A previdência privada também é isenta de imposto de renda no caso de herança, e os herdeiros receberão o valor integral.

Quais as desvantagens do plano da previdência privada?

Embora a previdência privada possua diversos benefícios, também existem alguns pontos menos positivos que vale a pena avaliar antes de tomar uma decisão.

Veja as principais desvantagens desse investimento abaixo:

Prazos

A previdência privada é uma opção de investimento de longo prazo, de modo que a maioria dos planos possui prazos mínimos de contratação e carência para resgate.

Caso precise resgatar o valor antes, arriscará perder parte dos juros de todo o período, além de enfrentar mais burocracia para receber o valor.

Dessa forma, além de não poder contar com a disponibilidade do seu dinheiro a curto prazo, esse investimento ainda se torna limitado para outras finalidades imprevistas que precisam de liquidez imediata.

Taxas

Além disso, os planos de previdência privada possuem diversas taxas que podem comprometer a rentabilidade do investimento. 

Entre as principais tarifas se destaca o custo de administração da gestão, os valores de adesão e a taxa de desempenho.

Caso incidam mensalmente sobre o valor investido ou sobre os juros, podem diminuir o total acumulado na sua conta.

Rentabilidades

Ainda, uma das principais desvantagens da previdência privada é a rentabilidade dos seus planos, que podem variar bastante, dependendo das condições de mercado e do tipo de investimento.

Os juros também diminuem no caso de resgate antecipado e as taxas de administração que a companhia pode cobrar.

Dessa forma, você não pode contar com uma garantia de alta rentabilidade a todo momento, precisando acompanhar o plano periodicamente.

O plano de previdência privada vale a pena?

Se você busca apenas uma complementação para a sua aposentadoria, o plano de previdência privada pode ser interessante. 

No entanto, se tiver outros objetivos para essa reserva, existem outras alternativas atrativas para analisar, que podem ser contratadas de forma complementar para a sua proteção, como o seguro de vida.

Isso porque o acesso e praticidade dos planos de previdência são menos flexíveis, com resgate burocrático e risco de perder parte do investimento antes do prazo.

Dessa forma, no caso de imprevistos ou situações em que precise do dinheiro, você será prejudicado pelos trâmites e descontos.

Enquanto isso, existem tipos de seguro, que possibilitam proteger a sua família e seu futuro, de eventuais imprevistos, como a morte, invalidez ou uma doença grave.

Ainda, características como isenção no Imposto de Renda para herdeiros e repasse fora do inventário também estão presentes nas apólices de seguro de vida.

Assim, é interessante entender como a previdência privada funciona, mas vale a pena conhecer alternativas como o seguro de vida.

Na Azos, você pode simular seu plano e as coberturas desejadas, além de ter controle sobre os pagamentos e um canal de suporte moderno para solicitar a indenização quando precisar.

Descubra qual a melhor alternativa de investimento para proteger o seu futuro e contrate um seguro de vida com praticidade! 

Gostou do artigo?  Compartilhe
Facebook
LinkedIn

Finalmente um seguro para a sua vida

Seguros personalizados, preços incríveis e aprovação em 1 dia útil

100% digital
Sem exames médicos

Perguntas que nos fazem com frequência

No items found.

Receba conteúdos legais sobre seguros, educação financeira e boas histórias para contar.