O que é beneficiário no seguro de vida?

O beneficiário da apólice de seguro de vida é a pessoa ou organização designada para receber a indenização caso você morra

Postado: 

27/4/2021 11:04

Se você contratou um seguro de vida e tem pagado os prêmios (mensalidades) em dia, a sua seguradora vai pagar o benefício que é chamado de “indenização em caso de morte” se você morrer. A pessoa ou organização que receberá a indenização em caso de morte é quem é  o beneficiário da sua apólice.

Você é quem escolhe quem é o seu beneficiário, claro, mas é importante atentar para as legalidades acerca de quem pode ou não ser um beneficiário. Como você vai ver conforme te contamos mais sobre esse assunto.

Leia a seguir então sobre quais são os diferentes tipos de beneficiários, quem nomear como beneficiário na sua apólice de seguro de vida  e como garantir que ele(s) receba(m) de fato o pagamento da indenização em caso de morte.

Dicas valiosas:

  • O ideal é você nomear alguém como seu beneficiário do seguro de vida se essa(s) pessoa(s) dependerem financeiramente de você;
  • Nomeie um beneficiário secundário caso o beneficiário primário não puder receber a indenização em caso de morte;
  • Você pode nomear mais de um beneficiário, incluindo organizações e instituições de caridade;
  • Se necessário, atualize o seu beneficiário de tempos em tempos e garanta que o pagamento não vá para a pessoa errada ou para o Estado

Qualquer um pode ser meu beneficiário de seguro de vida?

Você pode escolher uma entidade legal, organização ou qualquer outra pessoa adequada para ser o beneficiário do seu seguro de vida. As escolhas mais comum são:

  • Cônjuge;
  • Membros família;
  • Pessoas de confiança;
  • Enteados ;
  • Sócios;
  • Instituições de caridade.

Você pode ter mais de um beneficiário e até designar uma porcentagem da indenização em caso de morte para cada um deles.

É importante nomear tanto o beneficiário primário quanto o secundário. O beneficiário secundário pode receber a indenização em caso de morte se o primário não puder receber, como no caso de um menor de idade  que foi nomeado beneficiário primário de um seguro de vida.

Há alguns fatores para serem considerados caso você pretenda nomear uma criança ou enteado como seu beneficiário, ou se você quiser outra pessoa que não seja seu cônjuge. Confere só.

Nomear um menor de idade como beneficiário

Nós não recomendamos nomear crianças como beneficiárias, pois se a criança ainda  for menor de idade quando você morrer, podem haver complicações legais e, consequentemente, atraso no recebimento da indenização.

Se você indicar uma criança, sem que haja um guardião legal — esse processo pode bloquear o fundo por muitos anos. O guardião legal é responsável pelo dinheiro até a criança se tornar maior de idade, o que, geralmente, ocorre por lei aos 16 anos.

Por isso, é melhor nomear um adulto de confiança que poderia ter acesso imediato a indenização para poder atender aos cuidados exigidos pela criança.

Nossos  especialistas aqui na Azos aconselham você a utilizar do benefício do Guardião. Criamos essa figura para garantir o pagamento da indenização e providenciamos que uma pessoa próxima de você seja notificada da existência da apólice. Isso evita que o seu beneficiário se esqueça da existência dessa apólice, ou que mesmo que saiba e não tenha meios de recorrer à ela. Essa pessoa poderá fazer o acionamento do sinistro em seu nome.

Funciona assim: você seleciona uma pessoa de confiança e a coloca como Guardiã da apólice. Daí, caso aconteça alguma catástrofe, essa pessoa pode acionar o sinistro do seguro garantindo que o seu beneficiário receba a indenização, isso sem custos extras em seu prêmio.

Quer saber agora e sem custos qual o valor da indenização que seu beneficiário poderia receber hoje? Confira em nossa calculadora e simule a quantia da sua cobertura e o prêmio que você pagaria.

O que acontece com um seguro de vida sem beneficiários?

Se o beneficiário do seguro de vida morrer, o dinheiro é encaminhado aos seus herdeiros legais. Isso pode tornar o processo de acesso à indenização do seguro de vida bastante lento, pois passa a se exigir outros documentos comprobatórios, além de todo um trâmite jurídico que pode se arrastar por algum tempo.

Quem pode mudar os beneficiários da apólice de um seguro de vida?

Manter os beneficiários do seu seguro de vida atualizados é uma das coisas mais importantes a se fazer para manter os seus entes queridos protegidos. O segurado, quem detém a apólice do seguro de vida, é a única pessoa que pode alterar os dados referentes à identidade dos beneficiários ou herdeiros legais do seguro de vida.

Considere atualizar a sua apólice caso algo aconteça em sua vida como os seguintes eventos:

  • Falecimento do beneficiário;
  • Nascimento de uma criança;
  • Divórcio;
  • Casamento.

Você pode alterar o beneficiário a qualquer momento. Basta entrar em contato com a seguradora ou corretor. Algumas seguradoras, aliás, permitem que tais alterações sejam feitas online, enquanto outras exigem pelo menos um telefonema ou formulário para alteração de beneficiário anexado em um e-mail ou correspondência enviado por você.

Durante a pandemia do COVID-19, alguns procedimentos foram alterados e são feitos apenas por e-mail ou correspondência. Entre em contato com a sua seguradora e pergunte diretamente a eles a respeito dessas adequações.

Como os beneficiários de seguro de vida são pagos?

Depois que o seu beneficiário submeter o requerimento de indenização em caso de morte, ele vai receber o valor total ou a quantia que você definiu para ele direto na conta bancária.

Existem algumas maneiras de receber o seguro de vida por morte:

  • Pagamento em uma parcela: A quantia total é paga de uma só vez. A maioria das pessoas optam por essa maneira porque ela é livre de impostos e taxas e pode cobrir despesas imediatas, como financiamentos ou gastos funerários.
  • Parcelamento ou anuidade: a indenização é distribuída mensalmente ou anualmente durante um período de tempo. Essa é a melhor opção para quem não tem pendências financeiras imediatas e deseja aumentar os rendimentos da indenização por morte.
  • Conta investimento: nesse caso, o benefício é retido em uma conta pela seguradora e você faz retiradas conforme precisa. Os fundos não utilizados continuam rendendo ao longo do tempo.

Você também pode optar realizar pagamentos per capita ou por herdeiros aos seus beneficiários se por acaso um dos beneficiários falecer.

Per capita, é uma distribuição em parcelas iguais para cada beneficiário, é padronizada e funciona para a maioria das pessoas.

Por herdeiros, nesse caso o pagamento de um beneficiário falecido é distribuído entre seus herdeiros ou descendentes. Essa opção é a melhor se você quiser que a sua cobertura seja entregue à família do seu beneficiário, como no caso de um avô que deseja o bem dos netos.

A indenização em caso de morte pode ser negada a um beneficiário de seguro de vida?

Sim, existem alguns cenários em que a seguradora pode negar o pagamento da indenização por morte. Apesar de ser difícil de acontecer, uma apólice pode acabar não sendo paga pelas seguintes razões:

  • Se o cliente omitir informações importantes durante a aplicação do seguro de vida;
  • Se o cliente se suicidar durante os primeiros dois anos de vigência da apólice;
  • Se o cliente for assassinado pelo beneficiário para receber a indenização.

Especialmente durante os dois primeiros anos de vigência da apólice, chamado de "período de contestação", a seguradora ou corretor pode revisar a aplicação inicial se suspeitarem de fraude ou omissão para reduzir o valor do prêmio. Se descobrirem que o cliente foi desonesto ou omitiu intencionalmente, a seguradora pode negar o pagamento ou reduzir o valor final da indenização por morte em função dos prêmios não pagos.

Se a seguradora contestar a declaração de morte e negar o pagamento da cobertura, em geral ela retorna o valor do prêmio pago anteriormente. Por isso é importante ser muito sincero e seguro durante o preenchimento do questionário de saúde.

Agora, você deve estar se perguntando como saber se alguém que faleceu deixou seguro de vida. Nesse caso, o mercado é bem diverso e, cá entre nós, não é raro encontrarmos seguradoras que fazem vista grossa à ausência de pagamento dos prêmios, o que pode ser um sinal de que o segurado faleceu.

Por isso, aqui na Azos a gente trabalha com o Guardião, como dissemos antes. Mas também é possível procurar pela apólice de seguro, caso a sua seguradora não tenha o benefício que a gente oferece aqui na Azos.

O dinheiro recebido pelos beneficiários são isentos de impostos?

O dinheiro recebido de um pagamento de um seguro de vida não é considerado tributável por se tratar de verba de natureza indenizatória, ele deve ser declarado durante o IR no campo de isentos e não tributáveis.

Existem algumas situações nas quais o beneficiário vai precisar pagar taxas em dinheiro relativas ao pagamento do seguro de vida:

  • Indenização paga como anuidade: quando o beneficiário escolhe receber os pagamentos em parcelas, o fundo ainda não pago passa a render. Esse rendimento é submetido a taxas.

Por isso, a gente recomenda que você busque um contador para auxiliar durante a sua declaração e conferência de conformidades.

Os beneficiários do seu seguro de vida são a principal razão para você contratar uma cobertura, o que faz com que todos os detalhes descritos acima sejam muito importantes para garantir que eles recebam a indenização caso você morra.

Atualize os dados da sua apólice regularmente, consulte um especialista ou consultor financeiro sobre a melhor maneira de providenciar a indenização. Você pode proteger a segurança financeira de sua família de uma vez por todas.

Está interessado e quer sanar todas as suas dúvidas agora? Fale com um dos nossos especialistas e garanta o melhor para as pessoas que você tanto ama.