Durante a rotina do dia a dia pode ser que essa necessidade não passe pela sua cabeça, mas já imaginou se você não pudesse seguir com sua vida normalmente amanhã? Por mais que ninguém queira realmente usar o seguro numa hora dessas, eventualidades podem acontecer.

Com ele, se você se envolver em um acidente poderá se dedicar ao tratamento completo sem preocupações financeiras.

Mas, antes de contratar o seu seguro invalidez é importante ter em mente alguns detalhes para acertar a cobertura ideal para você. Confira algumas observações dos nossos especialistas e conheça os tipos principais de coberturas por invalidez.

Dicas valiosas:

  • Pesquise bem antes de contratar o seu seguro para acessar prêmios mais baratos e melhores coberturas;
  • É costume das seguradoras tradicionais oferecer coberturas do tipo leve 2 pague 1, o que nem sempre tem utilidade e pode sair caro para você no final das contas;
  • Dê preferência para coberturas individuais, elas podem ter menos letras miúdas;
  • O seguro invalidez privado não está vinculado à aposentadoria por invalidez do INSS, fique atento aos riscos excluídos das condições gerais do seu contrato.

O que é Invalidez Permanente Total por Acidente (IPTA)? 

A cobertura por invalidez permanente total por acidente (IPTA) cobre a perda, restrição ou impotência de um membro ou órgão causada por acidente pessoal externo.

Acidentes que, nesse caso, tenham a origem externa são, por exemplo: um acidente em uma cachoeira ou trilha, a queda de uma escada, uma batida de carro ou tentativa de suicídio* — apesar da carência específica de 2 anos para esse caso.

Se, após o tratamento, esgotados todos os recursos, a avaliação médica sobre o quadro de saúde do segurado ainda apresentar:

  • sequela irreversível que anule a capacidade motora, funcional ou cognitiva;
  • perda total de um membro; 
  • ou restrição que impeça a autonomia do segurado;

a seguradora realiza o pagamento total da cobertura mediante indenização, com o objetivo de cobrir os gastos feitos durante o tratamento e que possa substituir a renda do segurado até que a família se adapte ao novo contexto.

O IPTA, no entanto, geralmente não tem majoração. Isso significa que o segurado recebe o valor total da indenização apenas se perder a capacidade ou se ver privado, totalmente, de um membro ou órgão. Por exemplo, a paralisia do dedão (comprometendo o movimento de pinça) por acidente pessoal externo, não corresponderia a 100% da indenização, podendo estar sujeito a uma tabela de pagamento indicando a porcentagem de pagamento do órgão comprometido.

Porém, existe o complemento de majoração, que é a invalidez permanente e total por acidente majorada (IPTA majorada). Com ela, se você perder uma das mãos, ou a visão de um dos olhos, por exemplo, a indenização é paga integralmente pela Seguradora. É um benefício que vale como uma cobertura extra e que pode não ser oferecido por todas as seguradoras.

Para saber maiores detalhes sobre a IPTA majorada oferecida pela Azos, confira as páginas 34 a 36 das Condições Gerais ou fale com um especialista pelos nossos meios de contato.

Baixe nossa planilha de organização financeira

O seguro Invalidez permanente tem relação com o trabalho ou aposentadoria pelo governo (INSS)?

A invalidez permanente total por acidente (IPTA) é considerada apenas quando o acidente tem origem externa ao corpo do segurado. Fora isso, qualquer acidente interno — como o Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou a invalidez de um membro como consequência da diabetes — não está coberto pela apólice do seguro.

Isso quer dizer que, diferente da Aposentadoria por invalidez atendida pelo INSS, a IPTA pode não cobrir a invalidez por desgaste de função ou Invalidez Laboral, que também possuem seguros específicos. 

Se uma pessoa fica incapaz de trabalhar com uma das mãos por desenvolver ao longo do tempo uma séria Lesão por Esforço Repetitivo (LER), ela pode se enquadrar na cobertura do INSS, mas não no seguro invalidez (IPTA).

Portanto, o seguro por invalidez permanente total por acidente não cobre qualquer invalidez adquirida em exercício de função. 

Invalidez permanente por acidente ou Invalidez permanente por doença?

A invalidez permanente total por acidente (IPTA) e a invalidez funcional permanente por doença (IFPD) são duas coberturas distintas e, por isso, cobrem também sinistros — acontecimentos indesejados e inesperados que provocam algum dano, perda ou morte do segurado — diferentes.

A IPTA assegura que qualquer acidente pessoal externo que provoque perda, restrição ou impotência irreversível de alguns órgãos do segurado seja coberto. Esgotados todos os recursos, se após o tratamento houver sequela integral de órgão ou membro do titular, a Seguradora realiza o pagamento da indenização.

O seguro por invalidez permanente total por doença (IFPD), por sua vez, cobre a perda da autonomia, ou melhor, da existência independente do indivíduo promovida pelas doenças. Algumas das doenças possíveis nesse caso, são: cardiopatias graves, doenças neoplásicas e doenças crônicas de caráter progressivo, envolvendo órgãos vitais, entre outras.

O que pode não ser coberto no seguro de invalidez permanente?

Algumas situações não costumam ser protegidas por um seguro, é essencial entender o seu contrato para ter a certeza que o tipo de seguro contratado cobre suas necessidades. Confira alguns exemplos do que pode ficar de fora:

• doenças preexistentes não declaradas na proposta de adesão ou na Declaração pessoal de saúde, mas que são de conhecimento do segurado;

• perturbação da ordem pública, operações de guerra ou atos de terrorismo;

• uso de material nuclear;

• atos ilegais e propositais praticados pelo segurado ou familiares;

• acidentes causados por ciclones, furacões, terremotos, erupções vulcânicas, maremotos e outros desastres naturais.

Contrate seu seguro de vida!

O que deve ser observado na contratação de um seguro? 

Em primeiro lugar, reflita se a cobertura é de fato adequada ao seu estilo de vida. 

É muito comum ver Seguradoras vendendo apólices de seguro leve 3 pague 1. Na hora, pode parecer um super negócio, mas na prática você pode pagar mais por algo que não te atende de fato.

Por isso nossos especialistas indicam coberturas isoladas. Com elas, você contrata a cobertura adequada para você e pelo preço que cabe no seu bolso e apenas a cobertura que precisa.

Falando em preço, esse é mais um ponto importante a se olhar na hora de contratar um seguro. Muitas vezes, a pessoa se empolga com os altos valores das coberturas e esquece que uma cobertura alta tem, também, um prêmio — mensalidade — alto.

Para você não cair nessa, nossos especialistas aconselham calcular uma cobertura entre 5 a 10 vezes a sua renda anual. Isso deve ser o suficiente para te auxiliar financeiramente até que sua família se reajuste.

Por último, e não menos importante, faça um check-up antes de contratar um seguro e adote hábitos saudáveis. Com a saúde em dia, os prêmios poderão ser ainda menores.

Por que é interessante contratar um seguro para você?

O seguro é um plano de contingência caso algo saia do planejado e as pessoas que você ama sejam surpreendidas por algo indesejado.

Mas, com o seguro, você continuará contribuindo para que seus entes queridos e dependentes mesmo quando não puder estar completamente ativo. Com ele, você esquece aquela preocupação que te faz rolar na cama a noite toda por se preocupar com o futuro das pessoas que você ama

Ficar meses ou o resto da vida sem trabalhar, especialmente se você é PJ, MEI (microempreendedor individual) ou autônomo, pode ser sério para a sua saúde mental, conta bancária e cartão de crédito. 

Mas, com o seguro invalidez, você terá meios de arcar com o custo do tratamento e manter as contas da sua família em dia.


*Se você tem pensamentos difíceis e precisa de ajuda, fale com um profissional. O Centro de Valorização à Vida está disponível 24 horas por dia em canais de atendimento gratuitos. Ligue para o 188 ou acesse o chat no site do CVV.