Perder alguém pode deixar todos em estado de choque e é um momento que até as coisas mais práticas ficam confusas, nós sabemos.

Ao longo da vida, aliás, certas coisas sequer passam pela nossa cabeça. Como, por exemplo, a perda de alguém envolve todo um burocrático processo jurídico . Pode parecer absurdo, mas quando falecemos uma série de documentos e processos são necessários, imediatamente.

Os arranjos funerários, a documentação obituária, a inventariação e transferência patrimonial são logo de cara exigidos de toda família que perde um ente querido. 

Acionar a seguradora para avisar que o titular da apólice do seguro de vida faleceu, é também um desses deveres — na maioria das seguradoras.

Foi pensando nesse momento delicado que a Azos simplificou o processo de aviso do sinistro (óbito do segurado), criando o serviço do Guardião. Depois do aviso, é dado início ao processo de pagamento da indenização em caso de morte.

Confira abaixo todos os documentos necessários para o acionamento do seguro e recebimento da indenização na Azos.

Mas, afinal, o que é o sinistro? 

Sinistro é o evento coberto pela apólice contratada. Quando falamos em seguro de vida em caso de morte, o sinistro é qualquer evento, dentre aqueles incluídos na apólice, que leve o titular à morte.

É importante se atentar às disposições que se encontram nas Condições Gerais do seguro e na própria apólice.

O sinistro por morte natural e por acidente

O sinistro pode ocorrer por morte natural, por acidente ou doença grave, e será pago a depender da cobertura contratada pelo titular e desde que respeite o período de carência. 

Quer dizer, o seguro de vida cobre o suicídio, mas somente se esse ocorrer após os 2 anos de carência. Do contrário, os beneficiários não poderão receber a indenização.

Documentos do Segurado

Confira a lista de documentos do titular da apólice que serão solicitados. Vale lembrar que os documentos devem ser apresentados em cópias autenticadas.

  • Carteira de identidade ou equivalente;
  • CPF ou outro documento que possua essa informação;
  • Certidão de nascimento ou de casamento;
  • Certidão de óbito;
  • Boletim de Ocorrência Policial, se houver;
  • Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em caso de acidente com veículo que estivesse sendo conduzido pelo Segurado;
  • Laudo de necropsia, se houver;
  • Laudo de exame toxicológico e de teor alcoólico, quando realizado.

Documentos dos beneficiários

No caso do seguro de vida que cobre o evento morte, também são necessários documentos de cada beneficiário. 

Assim que acionado o sinistro, o processo de pagamento da indenização contratada pelo titular falecido é iniciado. Para formalizar a identidade dos beneficiários, é necessário apresentar os seguintes documentos em cópias autenticadas:

  • Carteira de identidade ou equivalente;
  • CPF ou outro documento que possua essa informação;
  • Certidão de nascimento ou de casamento;
  • Comprovante de união estável - caso o beneficiário for companheiro do Segurado;
  • Comprovante de residência (conta de luz, água, gás ou telefone fixo, emitida em até 90 dias).

Quando solicitar a abertura de sinistro? 

Após a ocorrência do sinistro, é importante acionar a seguradora o quanto antes. Quanto mais rápido a empresa de seguros for notificada do ocorrido, mais célere será o pagamento da indenização. 

É importante lembrar que, legalmente, o pagamento deve ser feito dentro do prazo de 30 dias úteis, desde que não seja necessário nenhum esclarecimento ou apresentação de outro documento para análise. 

Recapitulando: é aconselhável que você avise à seguradora de imediato para iniciar o processo de regulação do sinistro.

Feito isso, tenha em mãos a documentação necessária. Os documentos pedidos servem para comprovar o sinistro, a identidade do sinistrado — o titular da apólice — e dos beneficiários, além da existência da apólice de seguro.

Providencie essa documentação ainda durante toda a ocorrência, se possível. O limite para entrar com pedido de sinistro, ou seja, o pedido para o pagamento da indenização é de 3 anos.

Sinistro por morte natural ou acidental 

Se o segurado falecer por motivos naturais ou por acidente, o ideal é solicitar o aviso de sinistro o mais rápido possível. Mas, antes de iniciar o processo, é importante ter em mãos:

  • a certidão de óbito, 
  • o laudo de necropsia, se houver, e
  • se o seguro esteve na condução do automóvel durante o acidente, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH)

Como fazer o aviso de sinistro?

O aviso de sinistro deve ser realizado junto à empresa de seguros. Para deixar o processo mais rápido, tenha em mãos os documentos listados acima. 

Na Azos você pode entrar em contato com a nossa central de atendimento através de telefone, WhatsApp e e-mail.