Atualmente no Brasil, são 25,4 milhões de trabalhadores autônomos (com ou sem CNPJ), um recorde no país, segundo o PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios).

Esse número representa uma grande parcela de trabalhadores que passam por algum nível de insegurança trabalhista e financeira. 

Tal condição é relevante quando consideramos o excesso de trabalho provocado por longas jornadas de serviço. Ao se sentirem inseguros sobre o futuro financeiro, profissionais se esforçam para entregar uma demanda a mais ou ficarem mais uma hora disponíveis para seus clientes.

Ao longo do tempo, essa situação de trabalho leva ao desgaste físico e emocional, reconhecidos como potenciais fatores da síndrome de Burnout. 

Para evitar o receio e a dúvida sobre o que pode acontecer no futuro, o seguro de vida é um excelente parceiro, já que ele garante amparo financeiro e tranquilidade sobre o futuro.

Continue a leitura e entenda mais sobre a síndrome de Burnout e como o seguro de vida pode ajudar.

O que é a síndrome de Burnout?

A síndrome de Burnout é descrita como um transtorno mental provocado pelos seguintes elementos: 

  • cansaço extremo
  • sensação de desânimo
  • tensão emocional
  • estresse
  • autocensura
  • e convívio tóxico no ambiente de trabalho

A síndrome de Burnout é também conhecida como síndrome do esgotamento profissional. Na maioria dos casos, ela está ligada ao cansaço excessivo provocado por uma rotina desgastante de trabalho, atingindo cerca de 30% dos trabalhadores no Brasil.

Já que os profissionais são, cada vez mais, incentivados a serem produtivos, mesmo quando o corpo e a mente pedem por uma pausa e descanso. 

A síndrome de Burnout é mesmo uma doença?

Como a síndrome de Burnout traz sintomas muito semelhantes aos de outras doenças, como a depressão, ela deixa dúvidas para muitas pessoas. Contudo, a Organização Mundial da Saúde determinou em 2018 que a síndrome de Burnout fizesse parte da lista de doenças a partir de janeiro de 2022.

A síndrome de Burnout, então, fica reconhecida como uma doença ocupacional, conferindo alguns direitos aos trabalhadores diagnosticados com ela. Dentre esses direitos, está o afastamento por licença médica, estabilidade e, a depender da gravidade, o direito à aposentadoria por invalidez.

Existe tratamento para Burnout?

O melhor tratamento para a síndrome de Burnout ou esgotamento profissional é a prevenção. Algumas medidas preventivas podem ser tomadas, principalmente a pausa e o descanso.

Especialistas aconselham uma pausa de 5 minutos a cada 1 hora de trabalho. A pausa deve ser, inclusive, ativa. Ou seja, não vale ficar no celular ou na frente do computador, principalmente no home office.

Levante, caminhe pela casa, vá até à varanda, tome um café. Permita-se pensar em nada. Distraia-se. 

Como lidar com os sintomas da síndrome de Burnout?

O melhor tratamento para a síndrome de Burnout ou esgotamento profissional é a prevenção. 

Algumas medidas preventivas podem ser tomadas, principalmente a pausa e o descanso.

Especialistas aconselham uma pausa de 5 minutos a cada 1 hora de trabalho. A pausa deve ser, inclusive, ativa. Ou seja, não vale ficar no celular ou na frente do computador, principalmente no home office. Levante, caminhe pela casa, vá até à varanda, tome um café. Permita-se pensar em nada. Distraia-se. 

Outras medidas simples de incorporar à rotina são:

  • autoconhecimento (terapia, meditação e etc)
  • atividade física, no mínimo 3 vezes por semana e sessões de 45 minutos a 1 hora.
  • dormir bem, no mínimo 8 horas por dia.
  • alimentação saudável

Ainda pode servir como um recurso benefício tanto para a saúde, quanto para o autoconhecimento, práticas alternativas, como a acupuntura, a meditação, o yoga e etc.

Síndrome de Burnout e seguro de vida

O trabalho excessivo e o estresse muitas vezes são enfrentados por rotinas que exigem uma produtividade contínua, o que leva os profissionais a se cobrarem de maneira insalubre e tóxica. 

Mas, em outras ocasiões, ela surge em profissionais que se esgotam no trabalho por receio do futuro ou que se sentem inseguros quanto ao próprio planejamento financeiro.

O seguro de vida, nesse cenário, pode contribuir com um aumento da tranquilidade ao trazer a garantia de amparo financeiro aos profissionais e suas famílias.

Contar com a cobertura do seguro de vida, é contar com a certeza de que se qualquer imprevisto acontecer, as pessoas que você ama ficarão bem graças à sua ajuda.