De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), 1 em cada 10 pessoas morrem por suicídio todos os anos no Brasil, e essa é a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo, atrás apenas de acidentes de trânsito.

Nem sempre saberemos se uma pessoa é suicida, mas existem alguns sinais que podem nos manter alertas quanto ao comportamento; são eles:

  • Isolamento: gradativamente, a pessoa se isola, evitando assim estar próximo das pessoas, cancelando atividades, não atendendo as pessoas de forma geral.
  • Histórico de depressão: desânimo, diminuição da autoestima, fadiga, alterações de sono e apetite, entre outros.
  • Doações de coisas valiosas: desapego de coisas importantes para ela.
  • Uso de substâncias químicas (álcool e drogas): que consequentemente, alteram o estado de consciência, favorecendo os pensamentos suicidas
  • Pensamentos obsessivos: sobre a morte e o morrer, sobre a vida não ter mais sentido, ausência de esperança
  • Atos perigosos: atitudes prejudiciais à sua própria vida

E é claro que existem outros sinais, estou apenas mencionando os que mais aparecem!

Saiba de uma coisa: ainda que possivelmente você se culpe pela questão mental de uma outra pessoa, o importante é manter-se por perto, seja em silêncio ou através de conversas; buscar a aproximação dos amigos e familiares mais próximos é um autocuidado. Se possível, recorra a profissionais da área da saúde como psicólogos e psiquiatras. Faça o que é possível, e busque também apoio!

Esse conteúdo foi escrito pela psicóloga Fernanda Rondom em parceira com a Azos.
Ela é pós-graduada em Psicologia Analítica, formada em Psicologia, com formação Avançada de Tanatologia e Cuidados Paliativos, Fernanda Rondon é psicóloga, e atualmente realiza atendimentos online.

Siga @vacomalma - Telefone: (31) 99680-8336 - Site: www.fernandarondon.com.br

Caso você seja uma pessoa com ideações suicidas, ou conheça alguém que esteja em sofrimento, sugiro que busque a sua rede de apoio (sejam familiares ou amigos); caso já tenha feito essa tentativa e sentiu que não foi acolhido como gostaria, recorra ao Centro de Valorização da Vida, que realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, e-mail e chat 24 horas todos os dias. Acesso o site: https://www.cvv.org.br/   Ou ligue para o número 188!