Mundo BANI é um conceito sugerido atualmente para entendermos as transformações que ocorreram com a sociedade a partir de 2019, em razão da pandemia de Covid-19.

Todos os países, sem exceção, adotaram medidas preventivas de isolamento social por dois anos  e vivem, ainda em 2022, sob a insegurança e incerteza se a pandemia deixou de ser de fato uma ameaça.

Esse cenário produziu uma série de efeitos emocionais sobre as pessoas, aumentando os números de casos de ansiedade, depressão, angústia e pânico.

O Brasil que em 2017 liderava no ranking de pessoas com transtornos mentais, mais de 19 milhões de pessoas, assistiu a uma piora de quadros de saúde mental já existentes e um aumento importante de novos casos.

Entender o mundo BANI e conhecer algumas boas práticas pode ajudar bastante na preservação da nossa saúde mental. 

O que é o mundo BANI

O mundo BANI é um acrônimo para frágil, ansioso, não linear e incompreensível — brittle, anxious, nonlinear e incompreensível. O criador dessa ideia é Jamais Cascio, antropólogo, escritor e visionário estadunidense.

O mundo BANI foi criado diante da pandemia de COVID-19 a partir de 2019. Acontecimento que mudou e continua mudando o curso da sociedade, com medidas sanitárias restritivas para reduzir o contato físico entre seres humanos somente ao extremamente necessário. 

Se o mundo VUCA já era complexo, o mundo BANI, com o isolamento e o trabalho em formato home office, torna as relações sociais e a noção de futuro ainda mais confusas.

Com o Covid-19 houve uma exponenciação do papel da internet nas vidas das pessoas e no mercado, praticamente não há nada que não se possa fazer de casa, o que contribui para sensação de fragilidade e incompreensão.

A saúde mental antes e depois da pandemia

Da quebra do muro de Berlim, em 1989, ao início da pandemia de Covid-19 em 2019, vivíamos no chamado mundo VUCA. Ou seja, um mundo de volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade — volatility, uncertainty, complexity e ambiguity — isto é, VUCA. 

Nesse contexto, já enfrentávamos diversos sintomas emocionais causados por uma sociedade mais complexa, intensa em seus volumes de informação e insegurança diante do futuro e seus caminhos.

Mundo BANI e a saúde mental após a pandemia 

Com a pandemia, a situação se aprofundou. O mundo virtual ocupou parte considerável de nossos hábitos mais sensíveis, como o abraço do próximo e o convívio com o outro.

São efeitos emocionais que marcam o mundo BANI:

  • O luto pela perda de pessoas amadas, 
  • o medo de se contaminar, 
  • a ansiedade, 
  • a angústia 
  • estresse pelo isolamento
  • e a impotência diante da situação 

De acordo com a Organização Pan-americana de Saúde (OPAS) o aumento de ansiedade e depressão foi de 25% em todo o mundo.

Como lidar com os efeitos do Mundo BANI e ter uma vida mais tranquila

Diante desse momento tão difícil e delicado, algumas atividades podem ajudar a aliviar os sintomas da depressão e a lidar com o luto, como a meditação, o yoga ou apenas conversar com alguém querido.

O Ministério da Saúde também sugere algumas medidas importantes para combater a ansiedade e angústia:

  1. Planeje uma rotina mesmo dentro de casa: mantenha horários regulares para se levantar e se deitar 
  2. Mantenha os cuidados usuais e rotinas de alimentação
  3. Se estiver em trabalho remoto, faça pausas e se movimente durante o período de trabalho. Pausas de 5 minutos a cada 1 hora de trabalho e, preferencialmente, que as pausas sejam ativas.
  4. Identifique pensamentos intrusivos, repetitivos e catastróficos que levem à ansiedade; aceite que eles existem, mas que não necessariamente correspondem à realidade. Descubra o que funciona para seu alívio.
  5. Evite ler ou ouvir demais sobre o tema, busque se informar sobre outros assuntos e evite notícias sensacionalistas ou que tragam ansiedade. Reserve um momento breve para se informar
  6. Foque em comportamentos preventivos que estão sob seu controle: lavar as mãos, manter distanciamento social, seguir rigorosamente as recomendações das autoridades de saúde.
  7. Evite o uso de álcool e outras drogas.
  8. Faça atividades relaxantes como meditar, escutar música, assistir filmes, ler livros, fazer cursos online.
  9. Organize armários, separe roupas e objetos para doação; faça pequenos reparos em casa; arrume fotos, limpe caixas de e-mails, organize arquivos do celular.
  10. Cultive os laços afetivos: aproveite a convivência familiar; mantenha contato com amigos por mensagens, ligações ou vídeos. Telefone para alguém com quem não conversa há muito tempo.
  11. Busque formas de ajudar a sua comunidade, incluindo familiares, vizinhos, trabalhadores. A solidariedade e a cooperação auxiliam os dois lados e aumentam a satisfação e os vínculos sociais.
  12. Encontre oportunidades para conhecer e divulgar histórias positivas e imagens de pessoas que se recuperaram da doença e queiram dividir sua experiência.
  13. Aceite o momento presente, mas lembre-se de que vai passar.
  14. Se estiver em sofrimento intenso, busque ajuda profissional de psicólogos e psiquiatras: há profissionais e serviços disponíveis mesmo à distância.

Se você deseja receber mais conteúdos sobre saúde, bem-estar e planejamento, assine a newsletter em nosso site.