Preços do seguro de vida vitalício

O seguro de vida vitalício é mais caro que o seguro de vida temporário porque dura a vida inteira. Para casos de sucessão patrimonial essa diferença pode valer a pena, para a maioria dos outros casos não.

Postado: 

20/7/2021 18:21

Existem muitos tipos de seguro de vida. Cada um tem uma aplicação diferente e antes de você escolher por um ou outro, é importante entender como eles funcionam. 

O seguro de vida vitalício é chamado assim porque dura a vida inteira, desde que os valores a pagar, mensalidades ou anuidades sejam quitadas de acordo com o contrato de seguro. 

Depois de tudo quitado, a cobertura é permanente e seus prêmios são geralmente mais caros do que o seguro de vida temporário, que dura apenas até a data definida para fim do contrato.

Dicas valiosas:

  • Os prêmios de seguro de vida vitalício podem ser de 5 a 15 vezes mais altos do que os do seguro de vida temporário;
  • O valor em dinheiro e a permanência de uma apólice de seguro de vida por toda a vida, ou seja, até a morte, é o que a torna uma opção de cobertura muito mais cara.

Por que o preço do seguro de vida vitalício é mais alto? 

As apólices de seguro de vida vitalício são mais caras do que as coberturas de seguro de vida temporário. 

E a razão é simples: a cobertura do seguro vitalício dura pra vida toda, ou seja, independente do que acontecer, o seu beneficiário vai receber a indenização em caso de morte.

Mas, isso tem um custo e ele é alto.

Normalmente, você paga prêmios para uma apólice de seguro de vida vitalício até uma certa idade ou por um determinado período. Durante e após esse tempo, caso nada tenha ocorrido, você estará coberto até o fim da sua vida.

Ao contrário do seguro de vida temporário em que a apólice expira se você não pagar os prêmios, no vitalício, você mantém a mesma quantidade de cobertura mesmo quando não paga os prêmios durante um período.

O seguro de vida vitalício pode render o seu dinheiro, apesar de não ser a melhor forma de investimento.

Isso é válido para seguros vitalícios que são resgatáveis. E funciona assim:

Todo mês, uma certa parte dos prêmios é depositada em uma conta de poupança com imposto deduzido que funciona de forma semelhante a um investimento. O valor exato da economia é determinado por sua apólice individual. Com seus dividendos anuais, o dinheiro rende e a indenização em caso de morte aumenta (ou diminui) com o tempo. Além disso, você estará sujeito à declaração desse Seguro no seu imposto de renda.

É importante lembrar que quando seu beneficiário receber a indenização do seguro de vida vitalício, dela serão subtraídos os valores referente ao imposto de renda também. O que não acontece com o seguro de vida temporário ou não resgatável. 

De todo modo, aqui na Azos gostamos de realçar que, apesar do rendimento incluso na apólice vitalícia, é melhor não confundi-la com um plano primário de aposentadoria. Talvez, como complemento, mas de forma alguma como a sua aposentadoria principal.   

Qual o motivo?

O seguro de vida vitalício tem opções de investimento limitadas e taxas de retorno relativamente baixas (apenas 3 a 4% a.a.) em comparação a outros tipos de investimento. 

O seguro de vida vitalício não resgatável é mais viável pensando em impostos.

O seguro de vida vitalício não resgatável é uma opção para quem tem dependentes financeiros que não deverão conquistar sua independência após algum tempo. Um filho especial ou impossibilitado de trabalhar, um parente que tenha sofrido um acidente ou até mesmo alguém mais velho que tenha começado a depender da sua renda e que posso ser seriamente prejudicado financeiramente com a sua falta.

O seguro de vida vitalício, apesar de ser financeiramente mais caro, é uma opção para pessoas que sempre terão alguém dependente de sua renda de alguma forma.

Não será considerado herança, e por isso não estará sujeito à lei sucessória, sendo direcionado apenas para o(s) segurado(s) cadastrado(s).

E como não é resgatável, também não apresenta rendimento e não estará sujeito a tributação e a IR.

Preços de seguro de vida vitalício VS seguro de vida temporário 

O seguro de vida temporário tem um prazo de cobertura determinado pelo contrato, ou seja, após o tempo de contrato, a apólice pode expirar caso não seja renovada por alguma das partes. Ela pode durar entre 5 e 30 anos. Diferente do  resgatável, ela não rende ao longo do tempo. 

Por esse motivo, os prêmios são muito mais baratos do que os do seguro de vida vitalício. É também por isso que o seguro de vida temporário é mais procurado pelas pessoas. 

O caráter vitalício de uma apólice de seguro de vida torna-a muito mais cara do que o seguro temporário, por que, enquanto no seguro de vida temporário a morte é um risco, no vitalício a morte é uma certeza.

Confira as coberturas da Azos. Contrate seu seguro aqui

Quanto mais caro é o seguro de vida vitalício? 

Isso pode variar bastante, pensando nas possibilidades da cobertura contratada. Em alguns casos, a cobertura vitalícia permite resgates, descontados da cobertura final, em caso de acidentes e doenças, o que encarece o produto. 

A possibilidade de rendimento também é um fator que deve ser observado. Além de outros penduricalhos, como seguro para sua casa ou em caso de falecimento de beneficiários, por exemplo, que podem encarecer de forma desproporcional ao risco.

Seguro de vida vitalício vale a pena?

Uma apólice de seguro de vida vitalícia dificilmente é adequada para alguém que está em situação financeira apertada. E sem pagar as mensalidades quem depende de você fica sem a cobertura de toda forma.

Até porque, cá entre nós, chega a ser um excesso, já que o seguro vitalício vai além da finalidade fundamental de um seguro. Mas, sempre há razões para alguém querer pagar pelos prêmios mais altos, não é mesmo?

Como André Calazans, especialista aqui da Azos, explica sobre contratar um seguro de vida vitalício:

"Normalmente é uma boa opção considerar se você tem uma renda ou ativos anuais significativos, necessidades de planejamento imobiliário complexas ou um dependente com necessidades especiais."

Um indivíduo com um alto patrimônio líquido que já estourou o limite de outras contas de poupança poderia usar o seguro de vida vitalício como um recurso adicional de planejamento patrimonial, fazendo com que os altos custos dos prêmios valessem a pena, por exemplo.

Outro caso é o de pessoas que estão deixando para trás dependentes com necessidades especiais, como abordamos acima. O seguro de vida vitalício pode ser uma opção de apólice de seguro de vida adequada para eles, já que nunca expira.

Idealmente, o melhor é garantir a cobertura para seus beneficiários pelo valor que você pode pagar mensalmente. Entenda seu perfil familiar, o tipo de dependente que você vai proteger e as suas possibilidades financeiras antes de tomar a sua decisão. 

Se ainda tiver dúvidas, fale com um especialista Azos agorinha mesmo, é rápido e simples. E nós não vamos te empurrar o que não se adequa a seu perfil. A gente promete!